Skip links

O que é Psicologia Existencial?

A Psicologia Existencial centra sua reflexão na existência humana e tem como um de seus temas centrais a finitude do ser humano. Essa abordagem compreende que a consciência da finitude aumenta as possibilidades de um viver mais autêntico e prazeroso.

Acreditamos que a vivência das perdas e da morte podem nos revelar muito sobre nós mesmos. A experiência de finitude torna clara nossas limitações, imperfeições e fragilidades, mas, por outro lado, também revela nossas forças e capacidades.

O ser humano é visto pela Psicologia Existencial como um ser que se constrói constantemente e se define a partir de seu existir. Ele é o único ser que tem consciência de sua finitude, portanto tem conhecimento de que cada momento da vida é único e que todos caminhamos para um fim. Por isso, ser consciente e responsável pelo seu aqui-agora, proporciona uma vivência de maior qualidade.

A Psicologia Existencial tem como base a Filosofia Existencial. O Existencialismo é uma corrente filosófica que tem como principal preocupação compreender e explicar a experiência humana.

O Existencialismo moderno surge com Kierkegaard e com Heidegger, outros nomes Sartre, Nietzsche, Jaspers, Buber e Gabriel Macel também foram fundamentais na construção desse movimento.

       *Princípios básicos do existencialismo:

  • Não há uma essência que nos defina;
  • Todos somos livres para fazer escolhas;
  • Somos responsáveis por nossas escolhas;
  • Estamos em constante transformação;
  • Cada pessoa é um ser único e singular;
  • Coexistem diversos modos de ser e existir;
  • Experimentamos a vida a partir dos afetos.

A Psicologia Existencial trabalha conceitos como liberdade, responsabilidade, escolhas, autonomia, altruísmo, amor, culpa, coragem, vontade, empatia, intuição, intuição e finitude. Faz um amplo estudo das potencialidades humanas, do que há de positivo no Ser.

Essa abordagem, entende que a psicoterapia deve levar a pessoa à libertação das situações e emaranhados existenciais, levando-a ao reencontro com sua dignidade existencial.

Dado o exposto, podemos concluir que a palavra chave da psicoterapia existencial é construção, visto que se trata de desafiar a pessoa a ser construtora de sua essência. Promovendo uma abertura cada vez maior das perspectivas do indivíduo em relação a si próprio e ao mundo, nosso objetivo é facilitar ao máximo o processo de autoconsciência para, desse modo, favorecer um aumento do potencial de escolha do Ser em questão.

Observação: Durante a psicoterapia, o papel do psicólogo é conduzir você a um processo de autoconhecimento para que você possa olhar-se de frente e se expressar na sua singularidade, considerando que os seus sintomas podem ser compreendidos a partir de suas experiências de vida, de seus vínculos afetivos e de suas relações consigo e com o mundo.

Por isso, fazer psicoterapia é realizar um investimento em você e na sua qualidade de vida.

Autora : Adriana Mª S. Costa – Psicóloga Clínica – CRP: 05/34435 & 04/IS00805

* Agende seu horário: (24) 24524478 (24) 998172071 (WhatsApp)

Deixe um Comentário

Name*

Website

Comentar...