Skip links

TRANSTORNO DA PERSONALIDADE NARCISISTA

O transtorno da personalidade narcisista (TPN) é um amplo padrão de consideração distorcida, por si mesmo e pelos outros. Embora seja normal e sadio assumir uma atitude positiva em relação a si, as pessoas narcisistas exibem uma visão inflada de si mesmas, como especiais e superiores.

Os indivíduos narcisistas orgulham-se de sua posição social, mas demonstram surpreendente dificuldade em aderir a normas e a expectativas de reciprocidade social. Autocentrados e indiferentes aos sentimentos dos outros, o narcisista pode transformar um contato amigável em uma irritante demonstração de auto preocupação.

Resultado de imagem para transtorno da personalidade narcisista

As pessoas narcisistas podem ter uma história de rejeição aos demais, às vezes abrupta, por não quererem se associar a pessoas que fazem com que elas “não pareçam bem” ou não aumentem seu status.
As dificuldades do ambiente externo, que representam uma ameaça à auto-estima, costumam ser os fatores desencadeantes que levam a pessoa com TPN a tratamento.

Embora a auto-estima e o narcisismo estejam correlacionados, os dois traços não são os mesmos. Os indivíduos com auto-estima elevada não são necessariamente narcisistas, mas sim confiantes no seu valor pessoal. Sua estima está baseada em uma auto-avaliação realista de talentos, realizações e relacionamentos demonstrados, considerados em um contexto de oportunidades e normas sociais.

No paciente com TPN, a auto-estima é estabelecida pelo sucesso exterior, e qualquer experiência que contesta esse sucesso torna-se uma ameaça para ela. A crença central do transtorno da personalidade narcisista é de inferioridade e insignificância. Essa crença só é ativada em certas circunstâncias e, portanto, pode ser observada principalmente em resposta a condições de ameaça à auto-estima. De outra forma, a crença manifesta é uma atitude compensatória de superioridade:
“Eu sou uma pessoa rara e especial” ou “Eu sou superior aos outros”. Outra crença compensatória é: “As outras pessoas precisam reconhecer como sou especial”. Na terapia, o paciente narcisista quer ser admirado por qualidades especiais, mas resiste a examinar sentimentos de inferioridade, preferindo ver a fonte de seus problemas como externa.

Resultado de imagem para transtorno da personalidade narcisista

Os indivíduos narcisistas também usam o poder e o merecimento como evidência de superioridade. O narcisista acredita que “se eu for suficientemente poderoso, serei totalmente confiante e livre de dúvidas”. Como meio de demonstrar seu poder, eles podem alterar limites, tomar decisões unilaterais, controlar os outros e determinar exceções a regras que se aplicam às pessoas comuns. A perda de poder pode ser uma crise para esse paciente, algo que provocará significativa hostilidade, resistência e possível depressão. Os narcisistas fazem muitos julgamentos, apresentam opiniões e as impõem quando se
comunicam, pois acreditam que as pessoas superiores têm julgamento superior.

O paciente narcisista também supõe, como condição de poder, que “as pessoas devem satisfazer as minhas necessidades” e que “as necessidades dos outros jamais devem interferir nas minhas”. Assim, ele tende a viver as situações sentindo-se automaticamente merecedor de gratificação pessoal.

Resultado de imagem para transtorno da personalidade narcisista

Os indivíduos narcisistas acreditam que “imagem é tudo”, pois ela é a armadura do seu valor pessoal. Confirmar e manter sua imagem é uma preocupação suprema, e eles se percebem sempre na vitrina. Pensamentos automáticos típicos exageram a probabilidade de serem notados em um sentido positivo, e estabelecem comparações com outros indivíduos de status
elevado ou com celebridades. Pensamentos automáticos típicos exageram a probabilidade de serem notados em um sentido positivo, e estabelecem comparações com outros indivíduos de status elevado ou com celebridades.

ABORDAGEM DE TRATAMENTO
Podemos esperar que os pacientes narcisistas comecem o tratamento em um estágio de mudança que Freeman e Dolan (2001) descrevem como de “anti contemplação”. Nesse estágio entre a pré-contemplação e a contemplação, a postura do paciente é de se opor à mudança. Em essência, é como se ele dissesse: “Estou bem do jeito que estou, não precisaria estar aqui e não preciso mudar. E tem mais, você não pode me fazer mudar!” Mesmo quando sofrem, os pacientes narcisistas são ambivalentes em relação ao tratamento e relutam em se auto-avaliar, porque isso ameaça ativar a crença central negativa
de inferioridade. A estratégia de autoproteção desse transtorno é externalizar as fontes de sofrimento. Alguma coisa precisa mesmo ser diferente, mas não são eles que precisam mudar. Quando o bem-intencionado terapeuta tenta recomendar ações para iniciar a mudança, como tipicamente se faz no caso dos transtornos do Eixo I, o resultado pode ser uma luta de poder improdutiva e uma resistência defensiva.

Resultado de imagem para terapia cognitivo comportamental dos transtornos da personalidade narcisista

Intervenções Específicas:
Áreas-alvo importantes na personalidade narcisista incluem: melhora das habilidades de domínio e conquista de objetivos e exame do significado do sucesso; crescente consciência dos limites e da perspectiva dos outros e exame de crenças sobre valor pessoal e emoções, assim como desenvolvimento de alternativas construtivas.

Resultado de imagem para terapia cognitivo comportamental dos transtornos da personalidade narcisista

Texto extraído do Livro Terapia Cognitiva dos Transtornos da Personalidade (2º Edição)

Autores: Aaron T. Beck;   Arthur Freeman;   Denise D. Davis e colaboradores

Editora: Artmed

José Elias dos Santos – CRP/RJ. 05/52196 – Psicólogo Clínico e Terapeuta Cognitivo Comportamental

Agendamento para consultas no Espaço Multidisciplinar Vida Plena – Rua André Rugeri, 115 – Bairro de Fátima – Valença – R.J. ou pelos telefones:

(24) 2452 4478 ou (24) 99817 2071 ou (24) 988054015 – whatsApp

Deixe um Comentário

Name*

Website

Comentar...